Flamengo
Página Inicial
História do Flamengo
Craques
Notícias Flamengo
Grandes elencos
Jogos imortais
Sala de Troféus
Vídeos do Flamengo
Títulos do Flamengo
Estatísticas
Crônicas
Cronologia
Curiosidades
Escudos
Uniformes
Donwloads
Hino do Flamengo
Mascote
Sedes
Letras de músicas
Frases famosas
Links
Mural da torcida
E-mail

 

Dejan Petkovic

 

Dejan Petkovic

Dejan Petkovic (Nasceu em Majdanpek, na antiga Iuguslávia em 10 de setembro de 1972), foi um meia sérvio que marcou época no futebol brasileiro depois de atuar por grandes clubes do país, dentre eles, o Mais Querido do Brasil, clube no qual fez questão de escrever um dos capítulos mais bonitos da gloriosa história rubro-negra e onde encerrou a carreira de jogador em 2011.

O Começo da Carreira

Petkovic nasceu na Iugoslávia, na região que atualmente forma a Sérvia, e foi naquele país, que aos dezesseis anos, deu ínicio á carreira de jogador de futebol. Seu primeiro clube foi o Radnički Niš, time da cidade de Niš, a terceira mais importante do país depois de Belgrado e Novi Sad.

Em 1992, ano do pentacampeonato brasileiro rubro-negro, Pet se transferiu para o Estrela Vermelha, um dos mais populares clubes daquele país, e que houvera recentemente vivido o seu apogeu, ao conquistar nada menos do que o Campeonato Iugoslavo, a Liga dos Campeões da UEFA e o Mundial Interclubes. Assim, como não pudera ser diferente, o ainda jovem jogador que atuava com atacante, galgou os primeiros grandes passos como jogador profissional faturou mais dois campeonatos Iugoslavos, duas Copas da Iugoslávia, o apelido de Rambo e muita moral dentro e fora do país.

Em dezembro de 1995 veio a grande chance de Pet, é que o jogador se desligou do Estrela Vermelha e foi a caminho do Real Madrid, da Espanha, um dos mais badalados clubes de todos os tempos. Inicialmente, disputaria a temporada 1995/1996 pelo clube merengue, entretanto, o excesso de craques naquele clube, fez com que Petkovic fosse emprestado ao Sevilla, time pelo qual, acabaria vivendo um dos mais delicados momentos da carreira, ao fraturar gravemente o pé esquerdo.

Voltou ao Real Madrid ainda em 1996, passou rapidamente pelo Racing Santander e retornou mais uma vez ao Santiago Barnabéu, mas, encostado no clube espanhol, acabou aceitando uma proposta para atuar no Brasil, mais especificamente pelo Vitória, que, apesar das especulações negativas, acabou apostando no potencial do estrangeiro.

A chegada ao Brasil e retorno ao exterior

Poucos eram aqueles que apostavam no deslanche de Petkovic no Vitória. Acostumado com um futebol completamente diferente daquele praticado no Brasil, o jogador que ainda era atacante, também vivia a responsabilidade de ter que substituir um dos maiores ídolos da torcida do time baiano, que por sinal, também marcou história no Flamengo, o tetracampeão Bebeto.

Mas não demorou muito tempo para que Petkovic mostrasse todo seu potencial. Já na sua estréia contra o União São João fez um gol de falta e deu um passe para o gol do ex-botafoguense Túlio Maravilha no empate em 2×2, assim, pouco depois, Pet já era um dos queridos da torcida do Leão, com uma novidade: é que após a chegada do ex treinador do Fla, Celso Roth, Pet passou a jogar com meia-ofensivo, e se adaptou perfeitamente.

O reflexo de tanto sucesso na Bahia, veio em 1998, quando o jogador passou a ser constantemente convocado para a sua seleção natal a Iugoslávia. Ídolo absoluto no Vitória, Pet marcou diversos gols e arrebatou de vez a torcida do time baiano, conquistando títulos e provando que nem só de boas partidas vivem os ídolos.

Em meados de 1999, porém, Petkovic deixaria partido o coração dos torcedores baianos, já que suas partidas memoráveis não houveram passado despercebidas, e, o Venezia da Itália mirava no jogador a busca de um craque para a temporada européia de 1999/2000, de forma que, nem mesmo as diversas campanhas promovidas pela diretoria do clube baiano foram capazes de manter o jogador no Vitória.

A volta a Europa, todavia, não foi proveitosa como se imaginara. Pet não se readaptou ao técnico e monótono futebol do velho continente, e ao fim da temporada, decidiu retornar á terras tupiniquins, mas desta vez, para defender um clube que aprendera a assistir e admirar, já nos tempos de Vitória. Tratava-se do clube Mais Querido do Brasil, o Flamengo.

A primeira passagem pelo Flamengo

Petkovic comemora gol antológico
Petkovic comemora gol antológico

Quando chegou ao Fla, comprado por uma importância aproximada de U$ 6,5 milhões, graças a parceria do clube com a ISL, Pet recebeu honras de estrela, até mesmo pelo seu histórico recente no Brasil, e obviamente, pelo seu potencial.

Estreou no Fla em partida contra o Santos, válida pelo Torneio Rio-São Paulo de 2000, e assim como tinha feito na primeira partida vestindo a camisa do Vitória, Pet marcou gol e deu show, sendo um dos protagonistas da goleada aplicada pelo Fla no time paulista (4 a 1).

Comandado por Paulo César Carpegiani, Pet dava mostras claras de que não demoraria a assumir o posto de querido da maior torcida do Brasil, e as evidência se concretizaram, é claro, graças ao poder de fogo e boas atuações do jogador, a prova disso, é que, Pet marcou dois gols nas suas duas primeiras partidas vestindo o Manto Sagrado, além disso, o Flamengo só foi perder uma partida com o iugoslavo em campo depois de dez jogos, entretanto, aquela derrota foi dolorosa, e acabou mexendo com a estrutura do Mais Querido do Brasil.

Naquela ocasião, o Flamengo foi goleado pelo Vasco da Gama na decisão da Taça Guanabara de 2000, com show do recém-egresso do clube, Romário. Foi durante aquela partida que Petkovic conheceu exatamente a proporção da rivalidade entre Flamengo e Vasco, e, se não pensou ali em um revide, mais tarde pareceria que sim.

Apesar da derrota para o rival, e não tendo estado em campo nas partidas finais do Campeonato Carioca 2000, Pet formaria o elenco que triunfou contra o clube de São Januário e se sagrou bicampeão estadual, ao repetir o campeonato do ano anterior, ainda sim, pode-se dizer que Petkovic não estava satisfeito.

Ainda no ano de 2000, Pet jogou num time recheado de estrelas, entre elas, Denílson, Alex, e o desafeto Edílson. Outro que na época ainda surgia como promessa, era o atacante Adriano, que mais tarde se tornaria um dos maiores jogadores do futebol mundial e ganharia a alcunha de Imperador. Apesar de toda a constelação, o time do Fla não foi bem na Copa João Havelange e também fracassou na tentativa de conquistar o bicampeonato da Copa Mercosul, guardando as esperanças rubro-negras para o ano de 2001.

Certamente 2001 foi o ano de Pet no Flamengo, e a marca mais evidente foi eternizada em apenas um gol, contra aquele mesmo Vasco, que um ano antes houvera goleado o Fla, na decisão da Taça Guanabara.

Finalista do Campeonato Carioca, e candidato ao quarto tricampeonato carioca da sua história, o Flamengo partiu para o último jogo do certame em desvantagem. Derrotado por 2 a 1 na primeira partida, o Flamengo precisava ganhar por dois gols de diferença para se sagrar tri estadual diante do Vasco, que houvera perdido para o Fla nos dois anos anteriores, e formara um grande time. E o time de São Januário esteve bem perto do título, ao terminar a primeira etapa da decisão com a partida empatada.

Na segunda etapa, porém, os desafetos Petkovic e Edílson brilharam e jogaram com bastante sincronia, deixando o Flamengo a um gol do campeonato até os 43 minutos do segundo time, quando Pet partiu para cobrar uma falta sofrida na entrada da área e paralisou o Maracanã por alguns minutos, que se findaram ao balançar da rede defendida pelo goleiro vascaíno Helton.

Não bastasse aquele título, Pet ainda deu ao Fla, também com outro memorável gol de falta contra o São Paulo, a Copa dos Campeões, título de ordem nacional, e que creditou o clube a participar da Taça Libertadores no ano de 2002. Foi ainda naquela ocasião que apareceram os primeiros rumores da naturalização de Petkovic, já que àquela altura, o país desejava vê-lo vestindo a camisa da Seleção Brasileira, porém isto acabou nunca acontecendo.

Em 2002, ano díficil para o futebol do Flamengo, Pet partiu e dividiu a torcida do Flamengo. É que o meia deixou a Gávea e foi justamente para São Januário, a fim de defender o mesmo Vasco da Gama, que um ano antes tombara aos pés do gringo. A polêmica transferência, como não poderia deixar de ser, causou tremores, e parte da torcida rubro-negra demorou a digerir a mudança de Pet.

A saída do Flamengo e a peregrinação

Mais tarde revelada, a negociação entre Pet e o Vasco da Gama só ocorreu em virtude das generosas cifras oferecidas pelo rival do Fla ao meia estrangeiro, que também, é verdade, em virtude da sua forte personalidade vivia em eterno embate com os então gestores rubro-negros.

Apresentado no Alto da Colina exatamente no dia do 104º aniversário do Vasco, Pet correspondeu às expectativas do time de Eurico Miranda e comandou a equipe para a conquista do Campeonato Carioca 2003 e fez diversas brilhantes partidas, de forma á conseguir o díficil feito de cair nas graças de duas torcidas antônimas.

Foi ainda em 2003 que dois fatos novos ocorreram à Pet. Primeiro, o jogador deixou de ser iugoslavo, já que o país do leste europeu se dissolveu, e se tornou sérvio. Além disso, em meados daquele ano, antes mesmo do ínicio do Campeonato Brasileiro, o meia acabou rompendo com o Vasco da Gama e transferindo-se para o misterioso futebol chinês.

Pet, porém, não demorou na China. É que, ao sair do Vasco da Gama, o jogador houvera deixado um contrato em vigor, e acabou sendo acionado pela FIFA, de forma que só conseguiu atuar em algumas partidas, até mesmo conseguindo o campeonato nacional, assim, ainda em 2004 voltou para a casa do rival rubro-negro amigavelmente, e terminou a temporada atuando discretamente.

No ano de 2005, Petkovic passaria rapidamente pelo Al Ittihad da Árabia Saudita, e mais tarde assinaria com outro grande rival do Flamengo, desta vez o Fluminense, onde jogou em 2005 e 2006, tendo inclusive marcado o milésimo gol da história da instituição em Campeonatos Brasileiros. A partir dali ficavam cada vez mais evidentes as mágoas da maior torcida do Brasil, que assistia atentamente a peregrinação do seu ídolo de outrora, pelos seus mais marcantes rivais.

Na temporada 2007, Pet fugiu à risca e não mais defendeu outro rival do Fla, tendo seguido para o Goiás, que tinha projeto ousado para a temporada. Após o término do Campeonato Goiano daquele ano, porém, o sérvio pediu dispensa alegando estar chateado com as cobranças por resultados.

Em 2007, Pet acabou defendendo o Santos no Campeonato Brasileiro. Sua contratação, aliás, foi indicação do rubro-negro confesso Vanderlei Luxemburgo, mas, as atuações de Pet foram irregulares, e a chegada de Emerson Leão na Vila Belmiro apressou a rescisão do meia com o clube satista.

Já em 2008 depois de ficar algum tempo sem atuar, Pet chegou a declarar seu amor pelo Flamengo, se apontando como "O meia que o time precisa". Sua idéia era a de defender naquela temporada o Mais Querido do Brasil, o Vasco da Gama ou até o Fluminense, porém, foi escolhido pelo Atlético MG que vivia o ano do seu centenário, e via na contratação de Pet, um presente para a sua apaixonada torcida, porém, em dezembro de 2008 ao fim do Campeonato Brasileiro, o estrangeiro não justificou a contratação, de forma que o seu baixo rendimento fez com que o mesmo Emerson Leão, que houvera demitido o jogador no Santos, e agora, recém-chegado ao time mineiro pedisse a sua dispensa.

O retorno a Gávea

Petkovic comemora retorno
Petkovic comemora retorno

Em 2009, já no ínicio do ano, o meia Petkovic aparecia em tablóides como possível reforço do Flamengo para o decorrer da temporada, contudo, a informação era sempre negada por membros da diretoria que consideravam o jogador experiente por demais e por isso, fora dos planos. O fato é que naquele ano o clube disputava e mais tarde ganharia o penta tri campeonato carioca da sua história, e ainda era viva a lembrança da quarta conquista conquistada heróicamente a partir da belíssima falta cobrada pelo sérvio no ano de 2001.

No dia 19 de maio daquele ano, Dejan Petkovic se reuniu com a diretoria do Mais Querido do Brasil e selou sua volta ao clube através de um acordo que além de reforçar o clube, saldaria dívidas antigas com o meia e que atormentavam a saúde financeira do Flamengo.

No início contestado por parte da torcida, que de certa forma, ainda não compreendia bem as transações de outrora, que acabaram levando Pet aos rivais Vasco e Fluminense, o estrangeiro, que na época já acumulava 36 anos de idade, entrou no elenco com o propósito inicial de apenas compor, no entanto, algumas contusões e falta de peças de reposição, acabaram pondo o sérvio em campo.

O fato é que um Pet um tanto diferente apresentou-se na sua segunda passagem pelo Fla. Mais maduro, líder em campo, afável com os companheiros, o jogador acabou reconquistando a torcida rubro-negra como um todo, e mostrando todo o seu potencial, agora traduzido em atuações menos vigorosas, porém também bem mais sóbrias e técnicas. Em sua ótima fase pelo clube, em outubro de 2009 superou Sidney Pullen e se tornou o terceiro estrangeiro que mais marcou gols com a camisa do Flamengo.

Foi peça fundamental na conquista do Campeonato Brasileiro 2009, sendo o seu primeiro campeonato brasileiro conquistado.

Dados

Nome Completo: Dejan Petkovic
Dia do Nascimento: 10/09/1972
Nascimento: Majdanpek (Iugoslávia, atual Sérvia)
Posição: Meia

Número de Partidas pelo Fla: 197
Número de Gols: 57

1° jogo: 12/02/2000 (Flamengo 4 x 1 Santos) - 1 gol.

Histórico

Anos Time
1988-1991 Radnicki Nis
1991-1995 Estrela Vermelha
1995 Real Madrid
1996 Sevilla
1996-1997 Racing Santander
1997 Real Madrid
1997-1999 Vitória
1999-2000 Venezia
2000-2002 Flamengo
2002-2003 Vasco
2003 Shanghai Shenhua
2004 Vasco
2005 Al-Ittihad
2005-2006 Fluminense
2007 Goiás
2007 Santos
2008 Atlético-MG
2009-2011 Flamengo
1995-1999 Seleção Iugoslava

Títulos

Flamengo

  • Taça Rio: 2000
  • Taça Guanabara: 2001
  • Campeonato Carioca: 2000 e 2001
  • Copa dos Campeões: 2001
  • Campeonato Brasileiro: 2009

Outros Clubes

Estrela Vermelha

  • Campeonato Ioguslavo: 1991-92, 1994-95
  • Copa da Ioguslávia: 1992-93, 1993-94

Real Madrid

  • Campeonato Espanhol: 1996-97
  • Supercopa da Espanha: 1997

Vitória

  • Campeonato Baiano: 1997, 1999
  • Copa do Nordeste: 1999

Vasco

  • Taça Guanabara: 2003
  • Campeonato Carioca: 2003

Shanghai Shenhu

  • Campeonato Chinês: 2003

Al Ittihad

  • Copa Árabe: 2005

Estatísticas

Ano Jogos Gols Marcados Assistências Cartão Amarelo Cartão Vermelho
2000 59 28 - 10 1
2001 53 13 - 12 2
2002 9 2 - 2 0
2009 19(6) 8 7 4 0
2010 23(28) 6 1 2 0
20111010 0
Total 198 57 8 30 3

Última atualização: 27/09/13. Política de privacidade  |  Mapa do Site